Anderson do Singeperon denuncia corregedor e secretário da Sejus

por Igor_Cruz — publicado 23/02/2017 12h02, última modificação 23/02/2017 12h02
Segundo ele, folha de ponto foi assinada pelo corregedor, enquanto servidora passeava nos EUA...

 

Uma grave denúncia de improbidade administrativa envolvendo o corregedor geral do Sistema Penitenciário de Rondônia, Elias Resende de Oliveira, e o secretário de Estado de Justiça, Marcos Rocha, foi feita pelo deputado Anderson do Singeperon (PV) na quarta-feira (22), na tribuna da Assembleia Legislativa. De posse de provas documentais, o parlamentar revelou que uma servidora nomeada em 31 de outubro de 2016 no cargo comissionado para presidir Comissão Disciplinar na Corregedoria da Secretaria de Estado de Justiça (Sejus), teve a folha de ponto assinada como se tivesse trabalhado no período de 22 de novembro a 6 de dezembro de 2016, dias em que estava viajando a passeio nos Estados Unidos.

As folhas de ponto dos referidos meses carregam a assinatura e carimbo do corregedor e são de conhecimento do secretário, segundo Anderson. “Se o secretário fala que está havendo um afrouxamento na segurança, então do lado dele, dentro da Sejus está havendo um afrouxamento.

Essa dita servidora foi nomeada e menos de um mês depois estava lá tirando fotos nos EUA. Afrouxamento é ele que está cometendo, porque ele tem conhecimento disso e não tomou providências. Isso é improbidade e ele está sendo conivente com a improbidade”, refutou Anderson Pereira. Anderson disse ainda, que para ser corregedor é preciso ter moral. “Como é que um corregedor que vai investigar, que vai punir os ditos corruptos que eles falam, tem moral pra isso? Não tem moral para investigar e punir ninguém. Corregedor tem que ter moral e esse não tem”, acentuou o deputado. Por fim, Anderson confirmou que irá encaminhar a denúncia e toda a documentação para o governador Confúcio Moura (PMDB), Casa Civil, Ministério Público e demais órgãos competentes.

 

ALE/RO - DECOM - [Assessoria]

Foto: José Hilde

registrado em: