Deputado cobra do Governo do Estado responsabilidade com vigilantes patrimoniais

por Natália Leite Lima publicado 30/06/2022 12h54, última modificação 30/06/2022 12h54
Em reunião, Seduc sinaliza volta de monitoramento eletrônico e vigilantes temem demissão em massa como já aconteceu em gestão anterior.

O deputado estadual Jair Montes (Avante) em um vídeo divulgado em suas redes sociais, na manhã desta quinta-feira (30), durante uma reunião na Secretaria de Estado da Educação (Seduc) com o presidente do Sindicado dos Vigilantes de Rondônia, Valdemar Cosme de Carvalho e o vice-presidente, Marenor Gomes de Sousa filho, o vereador Paulo Tico, vigilantes e equipe técnica da Seduc, cobrou do Governo do Estado um posicionamento e responsabilidade em relação a vigilância patrimonial nas escolas da rede estadual.

O deputado mostrou apreensão e preocupação ao ser informado pela equipe técnica da Seduc que sinalizou um possível retorno apenas do monitoramento eletrônico. “Atualmente há um sistema de vigilância conjunto nas escolas, que ocorre com monitoramento eletrônico e também vigilância patrimonial, mas que após essa prorrogação de seis meses, que termina em dezembro, apenas seria mantido o monitoramento. Algo inaceitável já que houve estudos que mostram que a depredação, roubo e violência nas escolas aumentou sem a presença do vigilante. E ainda é uma situação desesperadora para esses trabalhadores que agora trabalham na incerteza. Não posso aceitar isso”, comentou o parlamentar.

O vice-presidente do sindicato comentou a situação e também mostrou preocupação. “O sindicato está preocupado com a situação porque já aconteceu em 2018 na gestão passada em que mais de 2 mil vigilantes perderam o emprego”, constatou Marenor Gomes de Sousa.

Texto e foto: Assessoria