Deputado Jair Montes cobra explicações do MP sobre vazamento de áudio

por Ronaldo Afonso do Amaral publicado 13/11/2019 10h20, última modificação 13/11/2019 10h20
Laerte Gomes elogia trabalho da CPI e declara apoio irrestrito aos parlamentares


O relator da CPI da Energisa, deputado Jair Montes (Avante), cobrou, ao discursar na sessão ordinária desta terça-feira (12), explicações do Ministério Público sobre um áudio que circulou nas redes sociais e foi divulgado por alguns sites. No áudio, a voz atribuída a uma promotora de justiça, faz questionamentos acerca do parlamentar. 

Jair Montes disse que vai solicitar, por meio de documento oficial da Assembleia Legislativa, explicações do Ministério Público sobre o episódio. Em aparte, o presidente da Casa, Laerte Gomes (PSDB), afirmou que a solicitação do deputado será atendida de imediato. 

Laerte Gomes frisou que a empresa investigada pela comissão é poderosa, pois detém concessões para explorar a distribuição e comercialização de energia elétrica em vários estados brasileiros. Ele disse que alertou aos membros da CPI sobre esses possíveis ataques. 

Mas, conforme o presidente, a Assembleia está preparada e vai dar todo o suporte e apoio necessários para o prosseguimento do trabalho que vem sendo executado na Comissão Parlamentar que ele classificou de muito bom. “Essa empresa não está acima das leis de Rondônia, ” assinalou. 

Ele informou que o desempenho da comissão é tão bom que foi formulado um convite para realização de uma reunião da CPI na Câmara Federal. Isso é inédito, conforme o deputado, e prova que os resultados até o momento são positivos. 

O deputado Cirone Deiró (Podemos) também se solidarizou com Jair Montes. Ele afirmou que a CPI está fazendo o seu papel de buscar a verdade e deve continuar firme neste objetivo. Jair Montes lembrou da época em que foi relator da chamada “CPI das Usinas”, quando exercia o cargo de vereador na Câmara de Porto Velho. Ele disse que foi também perseguido até ser preso injustamente. 

O parlamentar disse que mais uma vez sofre ameaças e não tem medo de ser preso novamente. “Mas vão ter que explicar o motivo da prisão. Desta vez, posso ser preso como deputado estadual e relator da CPI da Energisa”, disse, garantindo que não vai desistir da missão.

Texto: Antônio Pessoa-ALE/RO

Foto: Marcos Figueira-Decom-ALE/RO

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples.