Durante audiência em Guajará-Mirim, Ismael Crispin pede mais respeito com produtores rurais de Rondônia

por Ana Carolina Custódio publicado 11/10/2021 09h40, última modificação 18/10/2021 11h11
Parlamentar afirmou que produtores não estão tendo o devido reconhecimento pelo Estado

Durante uma audiência pública realizada na Câmara Municipal de Guajará-Mirim no dia 08 de outubro, proposta pelo vereador Augustinho Figueiredo (PSB) para discutir o desenvolvimento da agricultura, pecuária, meio ambiente e turismo, o deputado Ismael Crispin (PSB), agradeceu o convite e aproveitou a oportunidade para pedir mais respeito aos produtores rurais de Rondônia.

“O Estado está pecando muito com os produtores. Eu sou um grande defensor do servidor público de Rondônia, só que precisamos ser justos com os nossos trabalhadores rurais que não estão tendo o devido reconhecimento, mesmo sendo fundamentais para a economia. Quem quer trabalhar precisa ser priorizado e não ficar esperando por quase dois anos, por uma vistoria na sua agroindústria. O Estado não pode atrapalhar os produtores, ele precisa incentivar e apoiar”, indagou.

Na oportunidade, Ismael Crispin ressaltou ainda que seu papel como deputado Estadual de Rondônia, não é só de encaminhar emendas para os municípios. “Eu tenho a missão de trabalhar para dar às rondonienses condições de produzir, de fazer o seu trabalho de forma segura e legal e isso será feito através de legislações”, disse.

Segundo o deputado, a criação do Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf) é um grande exemplo de legislação em prol dos produtores rurais de Rondônia. “O Susaf tem o objetivo de garantir integridade e qualidade do produto final, orientando as normas técnicas e de instruções em que a avaliação da condição sanitária estará fundamentada em parâmetros técnicos de boas práticas, pois, os produtores não podem produzir matéria prima, eles precisam agregar valor e industrializar seu produto”, apontou.

Por fim, Ismael ressaltou que a agricultura precisa ter seu papel destacado e as falhas do sistema precisam ser corrigidas. “Os produtores de verdade não esperam a ação do Estado para fazer acontecer, eles fazem acontecer e nós como poder público precisamos reconhecer isso. Não somos um Estado industrializado, dessa forma, quem mantém de pé a nossa economia é a agricultura, que pode ser dividida em agricultura familiar, que é o maior empregador de Rondônia e agronegócio. Como deputado estadual vou continuar lutando pelo reconhecimento dos produtores de Rondônia”, finalizou.

Texto: Laila Moraes - ALE/RO

Foto: Assessoria