Hermínio Coelho explica comentário feito sobre TJ em entrevista na rádio

por Igor_Cruz — publicado 27/02/2018 17h42, última modificação 27/02/2018 17h42
O parlamentar afirmou que em nenhum momento acusou o Tribunal ou seus servidores...

 

O deputado Hermínio Coelho (PDT) falou, em sessão na tarde desta terça-feira (27), sobre acusações errôneas feitas pelo Tribunal de Justiça em relação a resposta do parlamentar durante uma entrevista do prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) em emissora de rádio.

Segundo o parlamentar, ele teria citado em mensagem a denúncia feita quanto ao processo licitatório de vigilância eletrônica da capital. “Achamos coisas estranhas no contrato, inclusive que ele estaria trocando alguns trabalhadores pela vigilância eletrônica com a justificativa de que irá gerar economia ao município”.

Apesar da explicação dada pelo fisco municipal, o parlamentar afirmou que levantamentos feitos por sua equipe mostram um equívoco na questão financeira. “Nós descobrimos que, ao invés de economizar, vai é ficar mais caro”.

Hermínio afirmou que é a favor da vigilância eletrônica, mas que a mesma é apenas um auxílio ao vigilante. Ele deu exemplo de escolas estaduais que sofreram depredação, após a retirada de trabalhadores da segurança.

Porém, segundo Coelho, a maior preocupação na denúncia seria quanto a empresa contratada, que possui envolvimento com lavagem de dinheiro. “O Tribunal de Contas suspendeu o processo licitatório e vai julgar o mérito. Espero que eles analisem e venham a cancelar de vez esse contrato”.

A confusão com o TJ se deu, afirmou o parlamentar, por conta de um comentário feito por ele sobre a negociação de R$ 150 milhões de precatório que a Prefeitura de Porto Velho supostamente faria com um empresário da capital.

“Esse empresário iria receber R$ 130 milhões à vista, mas a prefeitura não tem dinheiro. O que eles fariam era mandar um projeto para a Câmara de Vereadores para o financiamento desse precatório e eu falei, que era um absurdo um município em que falta tanta coisa negociar um valor tão grande com facilidade para pagar o precatório”, contou e concluiu: “só citei o Tribunal de Justiça, apenas porque esse tipo de coisa sempre passa por lá, mas não fiz qualquer acusação”.


ALE/RO - DECOM - Isabela Gomes
Foto: Ana Célia

registrado em: