Hermínio Coelho fala sobre a crise na política brasileira na Assembleia

por Igor_Cruz — publicado 09/03/2016 08h48, última modificação 09/03/2016 08h48
No início de seu pronunciamento, o deputado Hermínio Coelho falou sobre a crise política em nível nacional...


O deputado estadual Hermínio Coelho (PSD), ao discursar na Assembleia Legislativa, durante sessão plenária, discorreu sobre a crise política que se instalou no país, o combate a corrupção, o abandono de Porto Velho, e ainda sobre a penalização de inocentes, como no caso de seu filho preso durante o desencadeamento da Operação Apocalipse, enquanto os envolvidos em casos de corrupção por ele denunciados, nada sofreram.

No início de seu pronunciamento, o deputado Hermínio Coelho falou sobre a crise política em nível nacional, e do seu descontentamento com fatos envolvendo o ex-presidente. Segundo ele, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pisou na bola, poderia ter contribuído para efetivamente mudar o país, mas infelizmente não mudou muita coisa.

No seu entendimento, tudo isto é reflexo da picaretagem reinante na política, pois tirando como parâmetro o Congresso Nacional, o número de picaretas é expressivo. “Estamos vivenciando uma crise devido aos escândalos, agora com certeza, se o Brasil tivesse sendo comandado pelo PMDB ou PSDB, a situação seria ainda pior”, ressaltou.

Em tom de desabafo, o deputado Hermínio Coelho afirmou que neste país sempre roubaram, e que a política brasileira não sobrevive sem corrupção. E acrescentou: “Não tem jeito. Político honesto não sai do lugar, porque infelizmente o povo acredita nesta malandragem. Tem hora que tenho vergonha de ser deputado. Combater ladrão neste país não tem que dê conta. Infelizmente o nosso povo tem a cultura da corrupção. Quem é honesto é considerado como otário. Aqui a roubalheira virou moda”.


Impunidade

Apesar da “onda” de combate a corrupção, o deputado Hermínio Coelho disse que muita coisa ainda precisa avançar, para efetivamente se fazer justiça. Ele citou o caso de seu filho, preso por engano por mais de 20 dias, sem nenhuma prova concreta, e que até hoje luta para poder ter acesso ao dinheiro dele depositado em sua poupança, fruto de seu trabalho.

Enquanto isto, prosseguiu o deputado, os principais implicados em escândalos de corrupção envolvendo o governo estadual, continuam na impunidade. Trouxe a público a existência de quinze cheques proveniente de propina do cunhado do governador, e até agora nada. Depois voltei a fazer uma nova denúncia, com fatos concretos, neste caso os depósitos de dinheiro de propina nas contas bancárias das irmãs e do cunhado do governador, e mais uma vez o silêncio toma conta.

“Apesar de todas estas denúncias, quem acabou sendo atingido até em meu mandato foi este parlamentar. Minha casa foi invadida, a casa dos meus filhos foi invadida, meu filho preso por engano, e decorrido tanto tempo ainda sofre as consequências dos desmandos deste Governo. Infelizmente vivenciamos uma política é uma enganação. O povo que banca o poder, quem garante o salário de todo esse pessoal é enganado e sacaneado todos os dias. Não vejo grande esperança. É muita pilantragem neste país. O poder vive na base de esquemas, sempre alguém tentando tirar vantagem”, complementou Hermínio Coelho.

Ao concluir, o deputado reportou-se sobre a situação de abandono de Porto Velho. Disse ser preciso mudanças, pois ninguém aguenta mais a atual administração. Observou acreditar no trabalho dos dois parlamentares estaduais que são pré-candidatos a prefeito da capital, e que ressaltou sua decepção com relação a deputada federal Mariana Carvalho (PSDB), pois sempre após a eleição some, só reaparecendo ás vésperas de uma nova campanha eleitoral.

A deputada Lúcia Tereza em aparte disse que o discurso do deputado é na realidade um desabafo. “O senhor é um homem público de verdade. Quero parabenizar e desejamos o senhor atuando e fazendo a política da arte de fazer o bem para mais gente. Precisamos de sua atuação parlamentar, que não deixa se abater por este desânimo”, declarou ela.

 

ALE/RO - DECOM - [Paulo Ayres]

Foto: José Hilde

registrado em: