Hermínio Coelho sugere Comissão Especial para apurar denúncias contra Mineradora Santa Elina

por Igor_Cruz — publicado 23/02/2018 07h59, última modificação 23/02/2018 07h59
Possíveis irregularidades no funcionamento da empresa instalada em Nova Mamoré foram relatadas ao deputado...

 

O deputado Hermínio Coelho (PDT) encaminhou à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, requerimento solicitando a criação e a instalação de uma Comissão Temporária Especial, com a finalidade de apurar denúncia de ilegalidade e irregularidade no funcionamento da Mineradora Santa Elina Indústria e Comercio S/A, no município de Nova Brasilândia.

De acordo com o parlamentar, chegaram até ele informações referentes a ilicitudes cometidas no funcionamento da mineradora. Segundo Hermínio, entre as possíveis irregularidades são apontados crimes ambientais, sonegação de impostos e ausência das devidas licenças de funcionamento.

O deputado esteve no local e disse ter verificado um “esquema de segurança inexplicável, sinistro e intransponível”, citou o parlamentar.

Hermínio Coelho afirmou que existe um sigilo absoluto em todas as ações da empresa, onde não se consegue nenhum tipo de informação com relação aos produtos extraídos, as condições ambientais e profissionais.

“Não conseguimos informações com relação às licenças de funcionamento, tão pouco da quantidade de minérios que são levados para fora do Estado e o quanto de imposto são recebidos”, enfatizou Hermínio Coelho.

Segundo o deputado, há mais de 10 anos a empresa realiza serviços de pesquisa mineral, com laboratório no local. Em entrevista concedida a um veículo de comunicação local, um dos gerentes da mineradora confirmou o potencial mineral existente, a grandeza do projeto e o interesse de extrair os minérios ali encontrados.

Para Hermínio, considerando o investimento, o tamanho da área ocupada, as escavações que já foram e estão sendo feitas no local e a quantidade de veículos que transportam o minério para Minas Gerais, leva-se a acreditar na necessidade de uma investigação severa.

A Comissão Temporária Especial terá o papel de verificar possíveis crimes ambientais, sonegação de impostos, existência das licenças necessárias e obrigatórias, fiscalizações, riscos de catástrofes, cumprimento dos itens da segurança do trabalho, quanto está sendo transportado para outros estados, entre outras informações pertinentes.

“A ideia é investigar e apurar indícios de crimes que, possivelmente, estejam sendo cometidos pela mineradora citada, para que seja formalizada a abertura de procedimento adequado”, concluiu Hermínio Coelho.

 

ALE/RO - DECOM - Juliana Martins
Foto: Ana Célia

registrado em: