Ismael Crispin cobra informações sobre descarte de resíduos de origem animal

por Laila Luana Costa Moraes publicado 04/08/2020 08h59, última modificação 04/08/2020 08h59
A adoção da reciclagem dos resíduos animais com técnicas corretas de tratamento é essencial, pois eles possuem alto potencial poluidor

Preocupado com os impactos, que o descarte incorreto de resíduos de origem animal pode provocar ao meio ambiente, o deputado Ismael Crispin (PSB) solicitou da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), informações referentes aos procedimentos e orientações adotadas pelos abatedouros e programas da Secretaria de Estado de Agricultura (Seagri), quanto à destinação e reaproveitamento dos resíduos na produção de matéria-prima.

Em sua justificativa, o deputado ressaltou que reaproveitar os resíduos de origem animal é uma solução ecologicamente correta e necessária para o Estado. “Rondônia é um dos principais produtores e exportadores de rebanho, destacando-se não só pela carne bovina, mas também pela suinocultura e avicultura. Como consequência, gera um grande volume de resíduos animais que precisam ser tratados e ter a destinação correta, transformando-se em matéria-prima gerando empregos e renda”, disse.

De acordo com o Analista Ambiental da Sedam, Edimar Filho, uma prática muito realizada no Estado é o reaproveitamento realizado em graxarias, divididas em dois tipos; unidades integradas aos frigoríficos: processam o sangue capturado, vísceras, sebo e restos de fragmentos de osso e carnes na própria unidade fabril e unidades independentes: processam resíduos animais oriundos de açougues, casas de carne, frigoríficos, hotéis e restaurantes.  

O Analista apontou ainda, que a secretaria analisa as medidas tomadas por cada empreendimento em relação aos seus resíduos gerados, avaliando, orientando e sugerindo novas medidas/ estudos quanto a necessidade de adequações e aprimorações.

Segundo a Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), por ano, no Brasil, são gerados 65 kg de resíduos de origem animal per capita. Com um volume tão grande de sobras, há um risco considerável de degradação ambiental e a necessidade de reaproveitamento. A adoção da reciclagem dos resíduos animais com técnicas corretas de tratamento é essencial, pois eles possuem alto potencial poluidor. A reciclagem evita o apodrecimento de carcaças e resíduos animais a céu aberto.

Texto: Laila Moraes-ALE/RO

Foto: Marcos Figueira-ALE/RO