Jhony Paixão pede urgente solução para a permanência dos policiais da reserva remunerada nos cargos

por Ronaldo Afonso do Amaral publicado 22/10/2019 17h12, última modificação 22/10/2019 17h12
O deputado sugeriu que a Secretaria de Educação assuma o gasto com os reservas por dois meses


Durante sessão ordinária, na tarde desta terça-feira (22), o deputado estadual Jhony Paixão (Republicanos), falou sobre o problema que envolve os policiais militares da reserva remunerada, que atuam em escolas e presídios, e que o governo quer acabar com o contrato já existente com 232 PMs. “Esses policiais estão se doando mais uma vez para ajudar a sociedade, colocando em risco suas vidas para nos defender”, frisou. 

Jhony falou sobre reunião realizada no Tribunal de Contas de Rondônia (TC), com os conselheiros Francisco Carvalho e Wilber Coimbra, juntamente com representantes da Sejus, Sesdec, Sefin e Sepog, onde trataram desse problema. “Os conselheiros são favoráveis a esta causa, pois reconhecem a importância desse trabalho desenvolvido dentro das escolas, do sistema prisional e nos quartéis”. 

O deputado pontuou que o Tribunal de Contas pediu um prazo de 10 dias para emitir um parecer sobre o caso, porém, esse período não é favorável a classe, pois o Poder Executivo afirmou que os PMs serão exonerados até o dia 01 de novembro. 

Disse ter ficado em estado de alerta com a situação dos 400 militares que passaram em concurso público e curso de formação, pois os mesmos já deveriam ter sido nomeados. Pediu um ajuste nas contas do governo para que os policiais continuem nos cargos. “O Estado precisa da permanência desses profissionais, pois eles já têm experiência nesta área, e alguns já atuam há mais de um ano em escolas militarizadas. Trocar por outro militar neste momento não é a melhor solução”, pontuou. 

Paixão afirmou que, se o TC der um parecer favorável para a permanência do policias da reserva tudo será resolvido, porém é preciso de uma alternativa para a folha de pagamento desses profissionais nos meses de novembro e dezembro.   

Jhony destacou que já liberou cerca de R$ 530 mil em emenda parlamentar para a Seduc repassar a Sesdec. “Só com minhas emendas daria para fechar um mês de folha. 

Ao encerrar, o deputado sugeriu que a Secretaria de Educação assuma o gasto com os reservas por esses dois meses, assim como já faz Agência de Defesa Agrosilvopastoril (Idaron) e Secretaria de Finanças (Sefin), garantindo a permanência nos cargos de profissionais altamente capacitados para atuar nas escolas e no sistema prisional.

Texto: Eláine Maia-Decom-ALE/RO

Foto: José Hilde-Decom-ALE/RO

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples.