Representantes de entidades apresentam projeto sobre roubo de carga à Assembleia

por Mario Roberto Araújo da Costa Silva publicado 24/06/2022 09h15, última modificação 24/06/2022 09h15
Mercadorias poderão ser leiloadas e recursos destinados à saúde e educação.

Representantes do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Rondônia (Sindipetro) e Instituto Combustível Legal (ICL) apresentaram um projeto acerca do roubo de carga à Assembleia Legislativa. A reunião aconteceu na manhã desta quinta-feira (23), no gabinete da presidência.

O projeto apresentado visa combater o crime de receptação praticado por sócios, proprietários e administradores de estabelecimentos comerciais e, consequentemente, o furto e roubo de cargas. Os artigos do documento dispõem sobre a apreensão de mercadorias de origem ilícita ou não comprovada.

Entre outras possibilidades, os produtos poderão ser destinados para leilão, com o recurso destinado para saúde, educação, esporte, projetos culturais e segurança pública. O consultor do ICL, Roberto Egydio Balestra, explicou que a proposição pretende criar mecanismos para enfrentar esse problema recorrente. “Com esses roubos de carga que estão acontecendo no rio Madeira, pode até faltar produtos aqui para o estado, porque vem tudo pelo rio”, enfatizou.

Na reunião, os representantes ainda conversaram sobre bomba de combustível fraudada e devedor contumaz, aquele que sonega impostos. Todas as sugestões, segundo Roberto, são para melhorar o ambiente de negócios em combustíveis no estado.

O projeto apresentado será avaliado pelos deputados e equipe técnica da Assembleia.

 

Foto: Diego Queiroz/ALERO

Texto: SECOM/ALERO